Muito desejada na vida de inúmeros casais, a gravidez não é apenas mágica, podendo causar algumas intercorrências em certos casos. Ainda que não tão comuns, há alguns problemas na gravidez aos quais o casal deve ficar atento para garantir a saúde tanto da mãe quanto do bebê. E, neste texto, a Clinmedi fala a respeito de algumas delas.

O primeiro trimestre de gravidez costuma ser acompanhado por sintomas como enjoo, vômitos, mal-estar e sonolência. No entanto, esses ‘problemas’ são normais, significando apenas que o corpo ainda está se acostumando com as mudanças hormonais que ocorrem durante a gravidez. Na maioria dos casos, não é preciso se preocupar com eles.

Contudo, sintomas mais alarmantes (como o sangramento vaginal, por exemplo) podem indicar a existência de um problema maior. Nesses casos, ter conhecimento sobre o assunto pode ser fundamental — e foi por isso que nós elaboramos este material.

Abaixo, você aprenderá um pouco mais a respeito destas intercorrências do primeiro trimestre da gestação

 

Problemas na gravidez que podem ocorrer

 

Ameaça de abortamento

Presença de sangramento de pequena a moderada intensidade, associado ou não a cólicas em baixo ventre. Ao exame de toque vaginal, o obstetra detecta colo uterino fechado e ao ultrassom presença de embrião ou feto com batimentos cardiofetais presentes.

A conduta é expectante, já que nenhuma medida mostrou-se efetiva. Mais de 50% destes casos evolui bem.

 

Abortamento

É a interrupção da gestação antes de 20 semanas. O abortamento espontâneo é aquele que ocorre sem nenhuma intervenção externa e geralmente as causas são de origem cromossômica, do próprio embrião. 

Abortamento de repetição

Também chamado de recorrente, conceitua-se como 3 ou mais abortamentos repetidos. Tem causas variáveis, como alterações cromossômicas, inflamatórias, imunológicas, anatômicas ou endocrinológicas.

Muitas vezes, após inúmeros exames, não se encontra uma causa definida.

 

Gestação Ectópica

Tem uma incidência de 2%, e acontece quando a implantação do embrião ocorre fora do local habitual. A gestação tubária é o local mais frequente nestes casos. A recorrência é alta, em torno de 15%. Fatores de risco são: antecedente de infecções pélvicas (DIP), infertilidade, endometriose e tabagismo.

O tratamento precoce é importante para evitar a hemorragia e, consequentemente, o risco de mortalidade materna.

como evitar problemas na gravidez

Êmese gravídica

As náuseas e vômitos são sintomas frequentes e clássicos da gestação inicial. Tendem a involuir após o início do segundo trimestre. Observa-se desde quadros leves, que respondem bem com ajustes e fracionamento da dieta, antieméticos via oral e orientações gerais, como quadros mais severos, chamados de hiperêmese gravídica.

Está cursa com sintomas intensos, necessitando muitas vezes de internação hospitalar para controle dos sintomas e prevenção da desidratação. Fique atenta aos seus sintomas!

 

Descolamento da placenta

O descolamento da placenta é um dos problemas na gravidez mais críticos que existem. Ele pode acontecer a qualquer momento após a 20ª semana de gestação e, caso ocorra, exige intervenção urgente para que o bebê seja salvo. A ocorrência é de aproximadamente 6 a cada 1 mil partos.

Existem dois tipos de descolamento: com hemorragia visível e com hemorragia invisível. Em ambos os casos a grávida sente fortes dores ou contrações uterinas, e no primeiro uma grande quantidade de sangue é expelida pela vagina.

Nos casos de descolamento da placenta, é imprescindível ir ao hospital o quanto antes. Uma cesariana de emergência é feita e a mãe deve ser cuidada intensivamente para evitar a ocorrência de hemorragia grave.

 

Placenta baixa

Este segundo problema é menos grave que o anterior. Ocorre quando a placenta é implantada anormalmente próxima ao colo do útero. Nesses casos, pode haver sangramento em qualquer momento da gravidez. Caso isso aconteça, é recomendado o repouso absoluto.

Com o crescimento do útero, é possível que a placenta vá para o lugar normal. Porém, se isso não acontecer, indica-se a realização de uma cesariana.

 

Placenta prévia total

Muito similar à anterior, a placenta prévia total ocorre quando a placenta encobre totalmente o colo do útero. Nessas situações, é pouco provável que ela migre para uma localização normal, independente do crescimento do útero.

Assim como no caso anterior, há a possibilidade de sangramento e, caso ele ocorra, a grávida deve ficar em repouso absoluto. Quando a placenta prévia total ocorre, há grandes riscos de descolamento com hemorragia grave.

 

Eclâmpsia

Encerrando nossa lista de problemas na gravidez, temos a eclâmpsia. Esta é uma doença em que a pressão arterial aumenta, há perda de proteína na urina e o peso da grávida aumenta em cerca de 500g por semana.

Ela causa repetidos episódios de convulsões que podem ser seguidos por um estado de coma. É fundamental que seja cuidada para garantir a saúde da mãe e do bebê.

E você, já conhecia estes problemas na gravidez? Devemos sempre cuidar da nossa saúde, mas durante uma gravidez este cuidado deve ser em dobro. Caso tenha gostado de se manter informada, saiba que estamos sempre publicando conteúdos como este em nosso Instagram. Para acompanhar, é só nos seguir clicando aqui!

× Agende uma Consulta